quinta-feira, 21 de setembro de 2017

COMEMORANDO UM DIA ESPECIAL IV: OBRIGADO E PARABÉNS AOS COLEGAS



Hoje, 21 de SETEMBRO comemoramos o Dia do Radialista.


A celebração teve inicio em 1945, quando um decreto assinado pelo presidente Getúlio Vargas fixou os níveis mínimos de salário dos trabalhadores em empresas de radiodifusão.

Desde então em 21 de Setembro era comemorado tanto o dia da Radiodifusão bem como também do Radialista.

Porém, na ocasião do IV Congresso Brasileiro de Radiodifusão realizado na Bahia, nos anos 80, os proprietários de emissoras decidiram estabelecer o dia 25 de Setembro como o dia exclusivamente para comemorar O DIA DA RADIODIFUSÃO, pois nesse dia nasceu Roquete Pinto.

Pra quem não sabe, Edgar Roquete Pinto, foi o fundador da primeira emissora de rádio no Brasil a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, com prefixo PRA-A em 20 de Abril de 1923.

Cabe aqui dizer que em 2006 o Presidente Lula, por decreto mudou a data de 21 de Setembro como dia do Radialista para 7 de Novembro, data de nascimento do músico, compositor e radialista Ary Barroso .

Porém, o costume enraizado de se comemorar o dia 21 de Setembro como dia do Radialista, prevalece em todo o Brasil.

Como radialista profissional desde 1986, só tenho a agradecer pelos amigos que fiz e parabenizar também todos os colegas de profissão.

um abraço

"ALTEMARKETING"

terça-feira, 19 de setembro de 2017

JESUS É PERIPATÉTICO

COACHING 1
SELEÇÃO DE TEXTOS DO MEU “COACH” MR. MAX, ABRINDO A SÉRIE:
JESUS É PERIPATÉTICO

por Max Gehringer

“Numa das empresas em que trabalhei, eu fazia parte de um grupo de treinadores voluntários. Éramos coordenados pelo chefe de treinamento, o professor Lima, e tínhamos até um lema: “Para poder ensinar, antes é preciso aprender” ( copiado, se bem me recordo, de uma literatura do Senai). Um dia, nos reunimos para discutir a melhor forma de ministrar um curso para cerca de 200 funcionários. Estava claro que o método convencional – botar todo mundo numa sala – não iria funcionar, já que o professor insistia na necessidade da interação, impraticável com um público daquele tamanho. Como sempre acontece nessas reuniões, a imaginação voou longe do objetivo, até que, lá pelas tantas, uma colega propôs usarmos um trecho do Sermão da Montanha como tema do evento. E o professor, que até ali estava meio quieto, respondeu de primeira. Aliás, pensou alto:
_ Jesus era peripatético...
Seguiu-se uma constrangida troca de olhares, mas, antes que o hiato pudesse ser quebrado por alguém com coragem para retrucar a afronta, dona Dirce, a secretária, interrompeu a reunião para dizer que o gerente de RH precisava falar urgentemente com o professor . E, lá se foi ele, deixando a sala à vontade para conspirar.
_ Não sei vocês, mas eu achei esse comentário de extremo mau gosto – disse a Laura.
_ Eu nem diria de mau gosto, Laura. Eu diria ofensivo mesmo – emendou o Jorge, para acrescentar que estava chocado, no que foi amparado por um silêncio geral.
Talvez o professor não queira misturar religião com treinamento – ponderou o Sales, que era o mais ponderado de todos. _ Mas eu até vejo uma razão para isso...
_ Que isso, Sales? Que razão??
_ Bom, para mim, é óbvio que ele é ateu.
_ Não diga!
_ Digo. Quer dizer, é um direito dele. Mas daí a desrespeitar a religiosidade alheia...
Cheios de fúria, malhamos o professor durante uns dez minutos e, quando já o estávamos sentenciando à fogueira eterna, ele retornou. Mas nem percebeu a hostilidade. Já entrou falando:
_ Então, como ia dizendo, podíamos montar várias salas separadas e colocar umas 20 pessoas em cada uma. É verdade que cada treinador teria de repetir a mesma apresentação várias vezes, mas...Por que vocês estão me olhando desse jeito??
_ Bom, falando em nome do grupo, professor, essa coisa aí de peripatético, veja bem...
_ Certo! Foi daí que me veio à idéia. Jesus se locomovia para fazer pregações, como os filósofos também faziam, ao orientar seus discípulos. Mas Jesus foi o Mestre dos Mestres, portanto a sugestão de usar o Sermão da Montanha foi muito feliz. Teríamos uma bela mensagem moral e o deslocamento físico...Mas que cara é essa?? Peripatético quer dizer “ o que ensina caminhando”.
E nós ali, encolhidos de vergonha. Bastaria um de nós ter tido a humildade de confessar que desconhecia a palavra que o resto concordaria e tudo se resolveria com uma simples ida ao dicionário. Isto é, para poder ensinar, antes era preciso aprender e finalmente aprendemos duas coisas: A primeira é: o fato de todos estarem de acordo não transforma o falso em verdadeiro. E a segunda é que a sabedoria tende a provocar discórdias. Mas a ignorância é quase sempre unânime.”
*Max Gehringer é consultor e palestrante.



Vale a reflexão !


"ALTEMARKETING"
 
CONTATO: altemarketing@bol.com.br

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O TREM DA VIDA


Se eu tivesse que fazer uma metáfora sobre minha vida, faria baseado em um Trem, em um linha especial, que apenas me leva à frente.
Sinceramente, não tenho a ilusão de ser um maravilhoso TREM BALA, mas ficaria contente em satisfatoriamente conseguir ser uma LOCOMOTIVA CONFIÁVEL,CONFORTÁVEL.
 
Tenho um destino, e a certeza de que os obstáculos encontrados no caminho, podem no máximo conseguir com que eu reduza estrategicamente a velocidade, mas não pararei,  apenas reduzei se necessário  para não confrontar.
Muitas vezes, esses obstáculos poderão ser como “animais” na pista, e podem até conseguir com que eu venha  descarrilar  da linha, mas novamente sei que  me posicionarei triunfante, pois tenho um destino certo a cumprir.
As etapas da vida,são como estações de trem: infância, juventude, maioridade,velhice...
Por essas estações, pessoas embarcam em meu  trem, algumas estão dispostas comigo a fazer uma longa viagem, outras já desceram procurando outros trens ou outros destinos que para elas pareciam melhores.
E o trem não para, caminha em sentido certo...
Novas estações aparecem, empresas, locais que freqüentamos. Em algumas pensando no futuro,  ficarei  por mais tempo e  farão a diferença, outras apenas constarão em minha trajetória  como experiência adquirida, sem maior importância.
E o trem da vida, continuará em linha reta com uma única certeza, avisando a todos com um Piuiiiiiiiiiii, Piuiiiiiiiiiiiii, Piuiiiiiiiiiiiiii que traduzirá  a seguinte frase:
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim".

Abaixo, um link especial com a música "encontros e despedidas", que tem tudo a ver com esse texto. A poesia da letra retrata, o destino das pessoas,   os encontros, os desencontros, a tristeza, a alegria das chegadas e partidas. Maria Rita interpreta de modo suave valorizando a música:

"ALTEMARKETING"
 
CONTATO: altemarketing@bol.com.br

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

A CRIAÇÃO DO HOMEM




Deus criou o burro e disse: "Obedecerás ao homem, carregarás fardos pesados nas costas e viverás trinta anos". Serás burro!


O burro virou-se para Deus e disse: "Senhor,ser burro, obedecer aos homens, carregar fardos nas costas e viver trinta anos? É muito. Basta-me apenas dez anos".

Deus criou o cachorro e disse: "Comerás o osso que te jogarem ao chão, tomarás conta da casa do homem e viverás vinte anos". Serás cachorro !

O cachorro virou-se para Deus e disse:"Senhor, tomar conta da casa do homem, comer o que me jogarem ao chão e viver vinte anos? É muito basta-me dez anos".

Deus criou o macaco e disse: "Pularás de galho em galho, farás macaquices e viverás trinta anos". Serás macaco !

O macaco virou-se para Deus e disse:" Senhor pular de galho em galho, fazer macaquices e viver trinta anos? É muito, Senhor.Basta-me vinte anos".

Deus fez o homem e disse:"Serás rei dos animais, dominarás o mundo, serás inteligente e viverás trinta anos". Serás homem !

O homem virou-se para Deus e disse: "Senhor, Ser o rei dos animais, dominar o mundo, ser inteligente e viver trinta anos, é pouco, Senhor.Dá-me os vinte anos que o burro não quis, os dez que o cachorro recusou e os dez anos que o macaco dispensou, para eu viver, pelos menos, setenta anos".

E Deus atendeu o homem:

Até os trinta anos o homem vive a vida que Deus lhe deu, é homem.

Dos trinta aos cinquenta anos o homem casa e carrega os fardos nas costas para sustentar a família, é burro.

Dos cinqüenta aos sessenta anos, já cansado, ele passa a tomar conta da casa, é cachorro.

Dos sessenta aos setenta anos, mais cansado ainda, ele passa a viver aqui e ali, na casa de um filho e de outro e faz gracinhas para os netos rirem: É macaco.

Moral da História:

Muitas vezes nem sempre o que queremos que aconteça é o ideal para nós. 
Mas Deus nos atende, e percebemos que  não era bem assim...
Particularmente, acho que o ideal é pedirmos para que Deus faça aquilo que for melhor para nós.

Lembre-se: 

Deus sabe o que faz no tempo e na medida certa. Tenha Fé !

Vale a reflexão!


"ALTEMARKETING"

 

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

O EXÉRCITO DE NAPOLEÃO


Napoleão Bonaparte, foi o General mais jovem da França e um dos mais famosos Generais dos tempos contemporâneos. Por seus feitos e conquistas chegou a Imperador dos Franceses.

Extraordinário Estadista, sabia comandar seus exércitos e classificava seus soldados em quatro tipos:


1. os inteligentes com iniciativa:

Napoleão dava as funções de comandantes gerais, eram os estrategistas.

2. os inteligentes sem iniciativa:

Napoleão deixava-os para receberem ordens superiores, para cumprí-las com diligência e eficácia pois tinham um papel de suma importância para que as coisas fluissem, eram os oficiais.

3. os ignorantes sem iniciativa:

Necessário em toda organização. Napoleão os colocava na frente da batalha, os chamados "buchas de canhão", trabalhadores muito necessários, eram os soldados.


4. os ignorantes com iniciativa:


Esse tipo, Napoleão odiava e não os queria em seus exércitos, pois ele dizia que um ignorante com iniciativa:


1) "é capaz de fazer besteiras enormes e depois dissimuladamente, tentar ocultá-las";


2) "faz o que não deve, fala o que não deve, até envolve-se com quem não deve e depois diz que não sabia e sai pedindo desculpas";


3) "faz perder boas idéias, bons projetos, bons clientes, bons fornecedores";


4) "produz sem qualidade, porque resolve alterar processos definidos e consagrados";


Por isso, um ignorante com iniciativa é um grande risco para o desenvolvimento e o progresso de qualquer empresa, não precisamos dele e nem Napoleão queria em seu exercito.

Lembre-se:

Para se ter sucesso, (já dizia Napoleão), fique atento para identificar esses 4 tipos de "soldados", designando as funções de acordo com a capacidade de cada um.
E isso vale até hoje para qualquer empresa, negócio ou departamento.

Vale a reflexão!


"ALTEMARKETING"
CONTATO: altemarketing@bol.com.br
 

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

FALHAS DE COMUNICAÇÃO II





Lembra da brincadeira do "telefone sem fio" ?

Os participantes formavam uma fila e uma mensagem era passada para o primeiro e esse passava para o próximo e assim por diante, e quando chegava no último a mensagem estava completamente distorcida.

Pois é, por incrivel que pareça isso acontece muito com as empresas, sabia?

Recebi um e-mail com uma história muito engraçada que compartilho com vocês, (na verdade seria cômico se não fosse trágico, mas reflete bem a realidade de muitas empresas em suas comunicações).

Aproveito, para  alertar sobre o problema da comunicação, já dizia o Chacrinha "quem não se comunica se trumbica" e há muita falhas de comunicação nas empresas, sejam o tamanho que forem.  Veja o que aconteceu, com essa empresa, que não sabia se comunicar corretamente com seus funcionários:

DE: Diretor-Presidente
PARA: Gerente

Na próxima sexta-feira, aproximadamente às 17:00 horas, o cometa Halley estará nesta área. Trata-se de um evento que ocorre a cada 78 anos. Assim, por favor, reúna os funcionários no pátio da fábrica, todos usando capacete de segurança, quando explicarei o fenômeno a eles. Se estiver chovendo, não poderemos ver o raro espetáculo a olho nu. Sendo assim, todos deverão se dirigir ao refeitório, onde será exibido um documentário sobre o cometa Halley.


DE: Gerente
PARA: Supervisor

Por ordem do diretor-presidente, na sexta-feira, às 17:00 horas, o cometa Halley vai aparecer sobre a fábrica. Se chover, por favor, reuna os funcionários, todos com capacete de segurança, e os encaminhem ao refeitório, onde raro fenômeno terá lugar, o que acontece a cada 78 anos a olho nu.

DE: Supervisor
PARA: Chefe De Produção

A convite do nosso querido diretor, na sexta-feira às 17:00 horas, o cientista Halley, 78 anos, vai aparecer nu no refeitório da fábrica usando capacete, pois vai ser apresentado um filme sobre o problema da chuva na segurança. O diretor levara a demonstração para o pátio da fábrica.

DE: Chefe de Produção
PARA: Mestre

Na sexta-feira, às 17:00 horas, o diretor, pela primeira vez em 78 anos, vai aparecer no refeitório da fábrica para filmar o Halley nu, o cientista famoso e sua equipe. Todo mundo deve estar lá de capacete, pois vai ser apresentado um show sobre segurança na chuva. O diretor levara a banda para o pátio da fábrica.
 

DE: Mestre
PARA: Funcionário

Todo mundo nu, sem exceção, deve estar com os seguranças no pátio na próxima sexta-feira, às 17:00 horas, pois o manda-chuva (o diretor) e o senhor Halley, guitarrista famoso, estarão lá para mostrar o raro filme "Dançando na Chuva". Caso comece a chover mesmo, é para ir para o refeitório de capacete na mesma hora. O show será lá, o que ocorre a cada 78 anos.


E FINALMENTE NO QUADRO DE AVISOS.....
 

Na sexta-feira o presidente fará 78 anos, e liberou geral para a festa, às 17:00 horas no refeitório. Vão estar lá Bill Halley e Seus Cometas. Todo mundo deve estar nú e de capacete, porque a banda é muito louca e o rock vai rolar solto no pátio, mesmo com chuva.

 

Pois é Viu ?

E a propósito, como anda seus recados ou comunicados a seus funcionários?

Quer algumas dicas importantes? reveja então esse assunto que já abordei anteriormente, vale a pena:

http://altemarketing.blogspot.com.br/2016/02/falhas-de-comunicacao-i.html
Espero ter ajudado! 

 
Vale reflexão!

"ALTEMARKETING"
 

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

RFV ( 2º PARTE)

COMO AVALIAR O POTENCIAL DO  SEU CLIENTE ( CONTINUAÇÃO)

Na semana passada, vimos como podemos transformar informações em dados para obtermos a Recência, Frêquencia e Valor, não é mesmo?
Como expliquei, você concluirá que os clientes mais importantes são aqueles cujo código foi marcado como sendo R1F1V1 e os menos importantes os marcados com R5F5V5.

Para facilitar, vamos criar uma tabela com as váriaveis  Recência e Frequência, indicando também o valor monetário médio de cada compra (claro que os valores aqui são todos fictícios):



A planilha mostra o cenário  atual da empresa ou seja, como está posicionado a carteira de clientes. O que estamos fazendo aqui é tornar a técnica do RFV como  um instrumento prático na tomada de decisão, de forma que nossa objetivo seja crescer em número de clientes em recência de R5 na direção de R1 e freqüência na direção F5 para F1.  Nossa celula ideal então será  R1F1 conforme abaixo:
 
 
Será necessário criar um relatório de movimentação para que, todo mês, você perceba quais clientes vão evoluindo em termos de recência e freqüência e quais são os que vão caindo, recomendo então a utilização de um programa de  computador. (converse com seu fornecedor de informática, ele saberá te orientar).
 
Os que estão evoluindo na direção de R1F1 são aqueles que você deve prestar mais atenção, especialmente porque eles estão crescendo em valor monetário. É de onde você estará tirando lucro.


Aqueles clientes que estão caindo, são os que você deve, no mínimo, saber por que isso acontece e aplicar algum tipo de ação para reverter essa tendência. É por aí que você esta perdendo faturamento e lucro. Segundo Phillip Kotler  numa palestra em que participei, a Recência é a dimensão mais importante deste instrumento, seguidas pela freqüência e  valor monetário.

 Isto na verdade tem lógica porque quanto mais perto uma pessoa (ou cliente) está da última compra, mais provavelmente ele terá uma imagem positiva do produto ou da sua empresa, voltando a comprar. A conseqüência é o aumento natural do valor monetário do cliente.

O segredo da RFV está em preparar este programa de controle das movimentações complementado por ações de introdução de produto e pós-venda.

• Os controles das movimentações vão mostrando a reação dos clientes aos seus planos de ação.

• As ações de pós-venda vão assegurando a manutenção na posição R1 e direcionando para a posição ideal R1F1.
 
Para tanto ações de controle e reação podem ser criadas objetivando cada um dos movimentos (negativos e positivos):


• Um cliente migra da célula R1 para a célula R2. Por quê?

• Quais foram as razões deste cliente deixar de comprar há mais de 30 dias? Foi um problema de produto, de atendimento, de atenção, etc.?

A descoberta prática desta razão gerava uma imediata reação para fazer este cliente voltar a migrar para a célula R1.

Um novo cliente entra pela célula R1F5. Para saber se ele está evoluindo é só acompanhar o seu crescimento R1F4, R1F3, R1F2 e (como ideal) R1F1. Qualquer afastamento na direção R2, R3 uma reação deve ser aplicada para evitar perder este cliente.

LEMBRE:SE:

Recuperar  um cliente perdido, custa 5 vezes mais, do que conquistar um novo.

Fonte: Instituto MVC – José Luiz Meinberg
Material retirado do Pocket MBA Desenvolvimento de Gestores e de Profissionais de Vendas.

Espero ter ajudado.

Abraço


"ALTEMARKETING"