domingo, 17 de junho de 2018

POR QUE AS EMPRESAS "QUEBRAM" ?


Sem dúvida, há no mercado muitas empresas com produtos e serviços semelhantes.
Ao longo de minha carreira pude me deparar com muitas delas de ramos e tamanhos diferentes, percebendo uma certa similaridade entre elas.
È importante compreender que todas as empresas tem seus problemas, o que difere de uma para outra, é a maneira com que elas lidam com as soluções.

Notadamente, as empresas que falham tem em comum atitudes diria quase que sintomáticas que fatalmente as levaram ao mesmo diagnóstico de má administração e falência.

Algumas dicas que irão te ajudar a evitar os problemas mais comuns, nas empresas que “quebraram”:

1º SAIBA SEPARAR O “JÔIO” DO TRIGO:Observe bem seus funcionários, fornecedores, clientes.
Identifique os problemas e quais vale a pena manter relação comercial ou não.
Até as instituições filantrópicas ( que em teoria ajudam as pessoas) tem organização em sua administração.
É um erro a máxima “ Cliente tem sempre razão”, não é verdade, clientes também erram. !
Há clientes insolentes, mal educados, prepotentes que acham que porque estão pagando tem o direito de humilhar, tratar mal etc, assim como há os clientes mal pagadores que vivem inventando desculpa para não pagar o valor correto na data combinada.
A dica é “saia fora” desse perfil de clientes.
Isso fará com que no mínimo você tenha uma qualidade de vida melhor, trabalhando bem para quem precisa e não se desgastando com quem não mereça.

Por outro lado, avalie também sua postura em relação a seus fornecedores, afinal você é cliente deles, será que você não está também sendo insolente, chato, arrogante, prepotente ou ainda sendo mal pagador enrolando sempre seu fornecedor nunca podendo cumprir com o valor combinado e no dia combinado ?
Não vai me dizer que você também acha que por ser o dono do negócio e estar pagando, também pode tudo ? ( cometendo o mesmo erro que seu mal cliente comete com você).

Lembre-se: Seu fornecedor, assim como você está trabalhando e conta com seu pagamento. Cabe a você pedir o prazo necessário, os descontos necessários, mas depois de combinado você deve fazer a sua parte cumprindo o pagamento na data correta.


2º ORGANIZAÇÃO, EIS O SEGREDO:
Procure ter planilhas claras de contas a pagar e contas a receber.
Se você não tiver tempo, instrua alguém de sua confiança para organizar as datas do que terá que receber e do que terá de pagar.
De posse dessas informações, habitue um dia antes, no final do expediente você instruir seu funcionário para no dia seguinte receber de quem está combinado e pagar o que tem de se pagar, se for o caso tenha um fluxo de caixa que permita você na véspera já ter o valor a se pagar (dinheiro ou deixando o cheque assinado e pronto).

Dessa forma quem irá te pagar ou que tiver de receber de você, não precisará ficar te aguardando, seu próprio funcionário de confiança estando a par tomará as providências recebendo de quem tiver que receber e pagando quem tiver que pagar.

Não é raro empresários ter fama de “enrolados” e mal pagadores, mesmo tendo dinheiro e condições de honrar os compromissos, por falha de quem deveria corretamente assessorá-los.
Acompanhe e delegue a seu funcionário coisas burocráticas simples que você poderá no dia seguinte apenas confirmar com ele o que foi recebido e o que foi pago.

Lembre-se: Cabe a você se organizar e organizar sua equipe. Procure habituar-se a ser uma pessoa de palavra entregando o produto ou serviço na data e no preço que você combinou.
E também procure obter de seus clientes o cumprimento do valor no prazo combinado.


3º MANTENHA UM BOM RELACIONAMENTO COM CLIENTES E FORNECEDORES:Saiba quem são seus clientes, o que compram, quando compram, porque compram, quanto gastam e quanto poderiam gastar. Tenha o histórico de cada um deles, através de um cadastro para que você possa acompanhar.

Saiba quem são seus fornecedores, produtos que vendem, prazos possíveis de pagamentos, descontos possíveis concedidos.

Não concentre seu faturamento apenas em um grupo de clientes , assim como você não deve ter um único fornecedor por produto.

Pode parecer absurdo mas 80% do faturamento de uma empresa está na mão de 20% dos clientes, ou seja não há um equilíbrio.
Da mesma forma, procure também ter outros bons fornecedores de um mesmo produto, não ficando “na mão” de apenas um ou outro.


4º RECURSOS HUMANOS É FATOR CHAVE DE SUCESSO:
O fato de você delegar, não significa que você deve deixar seu funcionário fazer tudo sem supervisão. Treinamento é importante, veja algumas etapas:

1- Tarefas são como obstáculos a serem alcançados, observe se seu funcionário está conseguindo superá-los.

2 - Aprimore seu funcionário com as tarefas ele mesmo perceberá que está crescendo em responsabilidade.

3 - Há sempre um limite de aproveitamento, situação onde o funcionário precisa ser treinado melhor para superar determinado obstáculo, fique atendo a esses limites.

4 – Deixe sempre claro a seus funcionários quais os direitos e deveres de cada um.


5º SEJA UMA PESSOA ACESSÍVEL :
Claro que já me deparei com:

1 – Pessoas que eram importantes mas não tinham tempo para nada pois eram desorganizadas (não sabiam fazer agenda, se organizar para receber e conversar com outras pessoas, vendedores, fornecedores e pior até mesmo com os próprios funcionários);

2 – Cá pra nós, também tinha aquelas pessoas que não eram nada (mas se achavam o máximo), mas também por desorganização não tinham tempo para nada.

3 - Pessoas que nunca trabalharam e quando fizeram já montaram um negócio próprio patrocinado pelo Papai, marido, irmão etc, se achando o máximo (adorando colocar nas fichas PROFISSÃO: EMPRESÁRIO);

4 - Em último, mas não menos relevante, os Universitários que nunca trabalharam, concluíram a faculdade e conseguiram empregos de GERENTE TRAINEE (também se achando o máximo perto dos outros).

Algumas dicas, para sua conscientização:

a) Quanto mais alto, seja empresário seja executivo, mais fácil será o tombo, e não faltará gente para lhe puxar o tapete;


b) Por mais que você tenha posses (mental, fisica, intelectual, financeira), lembre-se: o que de fato levamos nessa vida é a amizade e o carinho das pessoas.

Diante desses fatos, só me resta dizer a você: CONVERSE E SE RELACIONE.

a) Entenda o mercado e a melhor fonte é ouvir seus fornecedores e vendedores, tenha boa vontade em saber o que eles tem para lhe dizer ou mostrar.

b) O ambiente de trabalho é importante, converse com seus funcionários e veja o que eles podem sugerir para melhorar seu negócio.

c) Trabalhe muito sim, mas também saiba dedicar a sua família, ao seu amor, aos seus amigos, oferecendo o que há de melhor de você (não importa a quantidade e sim a qualidade do tempo para aqueles que você ama).

Tenho certeza que se você souber se organizar, se relacionar bem com o mercado, clientes, fornecedores e funcionários, e claro com seus entes queridos, amigos etc, sua chance de sucesso mais rápido será muito maior.

Vale a reflexão!
Abraço

"ALTEMARKETING"
Contato:
altemarketing@bol.com.br

domingo, 10 de junho de 2018

O QUE PODE TER EM COMUM UMA SIMPLES PADARIA E SUA EMPRESA?

Perto da minha casa, há uma padaria que compro pãezinhos sempre quentinhos.
O Sr. Manuel, já é um velho conhecido com sua costumeira caneta atrás da orelha e como bom português é muito simpático e procura ser sempre atencioso.
Nesse final de semana, fui até sua padaria e me deparei com um pequeno cartaz “mudamos para a Rua Tal, nº tal” . Como eu sou cliente dele e o novo endereço e o número não eram muito distantes, fui até o local, e confesso fiquei surpreso:
Uma padaria nova, com balcões de vidro, doces, bolos e salgados só pela aparência muito apetitosos. O Sr. Manuel era a alegria em pessoa e quando me viu, já foi logo falando:

_Ora pois, gostastes da nova Padaria Altemare. Contratei um confeiteiro direto de Lisboa, todos os móveis novinhos inclusive os equipamentos.
Parabenizei meu amigo, e aproveitei e perguntei:

_ Mas Sr. Manuel, me conte para quem o Sr. fez tudo isso?
E o Sr. Manuel,orgulhoso respondeu:
_Ora pois, para meus clientes.
Sinceramente, gostei da resposta, talvez em outros tempos, Sr. Manuel, diria que era para ganhar mais dinheiro, para vender mais etc, mas o Sr. Manuel havia melhorado como Empresário, e deu a resposta principal, tudo era para o CLIENTE.
Só faltou um detalhe:
O cliente, não sabia nada que o Sr. Manuel, estava planejando, nem tão pouco investindo ou preparando para melhor atendê-los.
Fiquei pensando, sobre isso, quantas empresas, inclusive aquelas de grande porte e multinacionais, investem em funcionários qualificados, parque industrial moderníssimos, programas de qualidade interna total e os clientes NEM SABEM O QUE ESTÁ ACONTECENDO.
As empresas, perdem uma grande oportunidade de cativar ainda mais seus clientes e porque não dizer, conquistar novos clientes, pelo simples fato de não divulgarem o que estão fazendo para melhor atendê-los.
O fato de ter qualidade constatada, não significa que a empresa deve, estacionar no tempo e não investir mais em tecnologia, equipamentos e não é vergonha nenhuma mostrar ao mercado que está evoluindo e prestando atenção no que tem de melhor para os clientes.
Mas, o Sr. Manuel me deu uma grande novidade, estava preparando uma filial em outro bairro, pude então explicar a ele, as maravilhas do Marketing de relacionamento (cadastrando os clientes e seus hábitos de consumo), Marketing Direto ( enviando correspondências e jornais com promoções), Marketing Institucional (anúncios e assessoria de imprensa divulgando suas instalações e produtos), Trade Marketing (ações no ponto de venda, merchadising, degustação etc).
E o melhor, tudo poderia ter o apoio, patrocinado pelos fornecedores, afinal ninguém melhor do que eles, para desejarem o sucesso do Sr. Manuel, afinal se ele vendesse mais todos ganhariam.
Sobre isso, percebo que muitas empresas, não contam com essa possibilidade, pelo simples fato de sequer tentarem. Certamente, se o fizessem, encontrariam dentre os respectivos fornecedores, aqueles que gostariam de participar do sucesso de suas empresas clientes, claro se fossem convidados para isso.
É muito importante , seus clientes saberem que sua empresa investe e se preocupa em atendê-los cada vez mais e melhor e isso independe do porte da empresa, se é uma padaria ou uma grande empresa ou multinacional.

Vale a reflexão !

Um abraço

ALTEMARKETING

domingo, 3 de junho de 2018

VENDAS: UP-SELLING E CROSS-SELLING


Na semana passada sugerimos ações práticas para melhorar seu negócio, na oportunidade falamos sobre “Administração de Marketing”. Nessa semana, conforme havia prometido, vamos falar das ações de Up e o Cross -Selling.

Mas, antes de começarmos, cabe dizer que notadamente o marketing está muito mais accessível; profissionais ou empresas fazem ações de Marketing naturalmente, muitas vezes, até mesmo sem se darem conta de que estão praticando alguma teoria existente.

Talvez você se recorda (se não viu, vale a pena ver), o primeiro post desse Blog, tratava exatamente sobre esse assunto: o Marketing espontâneo. Na oportunidade, contei como seu pai conquistou sua mãe com base em teorias de Marketing (isso mesmo! dê uma passadinha por lá, o link é:




Particularmente, eu não tenho nada contra as ações espontâneas de Marketing, alias também já cheguei a falar sobre isso defendendo-as (dê uma passadinha por lá o link é:


 
Mas, o fato (é por isso que quis iniciar o post sobre a espontaneidade), que apesar de achá-la importante, não devemos deixar também de reconhecer que a vantagem de você saber da existência de uma teoria, é exatamente poder ao conhecê-la bem, saber a melhor forma de colocá-la em prática, planejando o momento certo para sua utilização (se necessário muitas vezes), para dar certo.

É o caso das técnicas Up- Selling (venda vertical) ou seja, sugerir um adicional para o produto e Cross-Selling (venda cruzada) ou seja, sugerir um produto complementar (ambas tem a finalidade de você aumentar o valor que inicialmente o cliente pretendia gastar em sua empresa).

Por exemplo: claro que você já foi em uma lanchonete fast-food e ao comprar o “ Nº 1” ouviu a seguinte frase:

O (A) Sr.(a) não gostaria do refrigerante grande por apenas R$ 1,50 a mais? (isso é Up-Selling).

Muito bem, aí você paga o R$ 1,50 e a atendente “dispara’ dizendo:

“Acompanha a sobremesa Torta de maça ou de banana ou prefere Sunday? (ou seja Cross – Selling).

E você não sabia mas “levou” duas teorias junto com seu lanche não é?
(na verdade foram três, pois a atendente utilizou a técnica de persuasão da "Alternativa Positiva", seja qual for a alternativa escolhida, será favorável a ela, mas isso é assunto para outros posts).

Só que engano seu, se pensar que Mac Donald’s faz isso, espontaneamente. Os funcionários são treinados (e muito bem) para isso. Claro, você também pode treinar os seus para praticar essas técnicas.

Conhece aquele site AMAZON? Pois é, 35% das vendas deles, são graças a ações de Cross-Selling.

Quer outro bom exemplo? A Dell Computadores, também faz isso no site deles (e-comerce) quando você compra o notebook em 4 etapas:

1º etapa – Fase do Up- Selling: após a escolha do modelo pré-configurado é apresentado diversos opcionais (memórias, gravador de CD Room, sistema operacional, wirelles etc, etc).
2º etapa- Definido o equipamento, o sistema começa a trabalhar o Cross-Selling, sugerindo produtos complementares, como por exemplo uma mochila para carregar o NOTEBOOK.
3º etapa- Serviços de manutenção, que não deixam de ser Up/ Cross Selling.
4º etapa – O cliente finaliza a compra”indo ao caixa”.

Certamente você tem muitos produtos que em seu negócio poderá ou adicionar a compra ou complementar a compra do cliente.

Uma dica: Se você é dono de um PET SHOP, porque você não relaciona quais os produtos que você pode na sua loja praticar o Up e o Cross Selling?

Finalizo dizendo o seguinte: É importante, você ter em mente que essas teorias tem por base, mais do que aumentar o valor da compra do cliente, (ticket médio), significa você atendê-lo bem ( ou seja atender as necessidades dele), e claro, de uma forma sútil, sem que ele tenha a sensação que você esteja forçando a compra "empurrando algum produto".

um abraço e até nosso próximo encontro

"ALTEMARKETING"
Contato: altemarketing@bol.com.br

domingo, 27 de maio de 2018

SUPERANDO A CRISE ATRAVÉS DA ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

 
Nessa semana perguntaram o seguinte:

"Como o marketing pode ajudar a lidar com situações adversas dos clientes e melhorar ainda mais meu negócio?"
Quero compartilhar com vocês essa resposta:
Um dos estudos mais dinâmicos que existe dentro da cadeira de Marketing, é a Administração de Marketing, que é a parte do Marketing que trata do gerenciamento da demanda (clientes), e como o amigo que fez a pergunta constatou, essa por sua vez pode apresentar de diferentes formas em relação a um determinado produto ou serviço. (reação dos clientes).

No curso de Pós Gradução em Administração de Marketing, entre outras coisas, aprendemos também a regular o nível, o tempo e o caráter da demanda, a fim de ajudar a empresa a atingir seus objetivos. (em outras palavras: diante de um comportamento do seu cliente (estado de demanda), você deve ter a reação certa (tarefa do Marketing), utilizando a técnica certa (estratégia de Marketing) .
Parece meio complicado mas é muito simples e útil, pois a técnica se encaixa perfeitamente a todos os tipos de negócios.

Após analisarmos o estado de demanda, identificaremos qual é a tarefa do Marketing, que devemos aplicar e qual ou quais as estratégias para um melhor resultado. Por exemplo vou aplicá-la ao segmento de PET SHOP´s (Rações e Acessórios / Clínica Veterinária / Banho e Tosa), já que era esse o ramo de quem me perguntou.

Utilizaremos nessa abordagem o marketing de conversão, de estímulo, de desenvolvimento, de revitalização, de sincronização, de manutenção e de redução. Explicando melhor:

Estado de Demanda: Negativa
Tarefa do Marketing: Corrigir Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Conversão

Marketing de Conversão: Tentativa das empresas em converter em positivo a sensibilidade negativa de alguns consumidores por certos produtos ofertados. Por exemplo: um expressivo e potencial grupo de clientes, não gosta de dar banho e tosa em seus pets, quando chove ou faz frio. Os Pet Shops devem converter essa sensibilidade, se comunicando com os clientes, deixando-os mais seguros com informações sobre o ambiente de banho e tosa ( que o animalzinho não passa frio, que a água é quente na temperatura ideal), que os equipamentos utilizados também não fazem mal ao bichinho ( secadores,sobrador saem ar quente). Sem contar que em muitos Pets, há também o serviço de Táxi Dog buscando e levando o animalzinho, sem que ele passe qualquer transtorno por causa do tempo. Parece óbvio para você tudo isso, mas saiba que em geral uma grande parcela dos clientes, acham que a água utilizada é fria, e que o animalzinho passa frio na hora do banho, o que é uma vergonha você perder cliente por falta de uma informação que você mesmo não dá.


Estado de Demanda: Inexistente
Tarefa do Marketing: Criar Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Estímulo

Marketing de Estímulo: Há uma grande quantidade e variedade de produtos e serviços para os quais não há demanda. As pessoas são indiferentes a essas ofertas colocadas para consumo no mercado. A tarefa de Marketing nesses casos é encontrar uma forma de conscientizar as pessoas pelo possível benefício que o produto ou serviço oferece. Por exemplo: Os clientes só vão no médico quando estão doentes, da mesma forma, a exemplo deles mesmos, só levam seus animaizinhos a (o) Veterinária (o) quando seus bichinhos ficam doentes (questão cultural) . O que é necessário é estimular a vinda do cliente trazendo os respectivos bichinhos ao veterinário, mesmo porque há ao longo do ano, muitas doenças possíveis, que são completamente evitadas se tomar as vacinas certas no tempo certo. ( você pode até criar algum tipo de promoção, onde após determinada quantidade de compra de rações ou banho e tosa ganham a avaliação clínica ou desconto na consulta etc, etc). Mas lembre-se: é necessário que se tenha a ficha dos bichinhos de cada cliente do pet acompanhando o histórico de cada um, isso será de grande ajuda para que a (o) Veterinária (o) "estimule" a visita do cliente (que poderá ser feito através de carta, e-mail ou de um simples telefônema). Cabe aqui também acrescentar, que acompanhar o histórico do animalzinho quanto a freqüência, também é importante no Banho e Tosa. Muitos veterinários e donos de Pet, não tem o habito de ter o histórico de cada cliente ou seja por culpa deles mesmo inviabilizam qualquer tipo de contato.
Estado de Demanda: Latente
Tarefa do Marketing: Desenvolver Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Desenvolvimento

Marketing de Desenvolvimento: Um estado de demanda latente existe quando um grupo substancial de pessoas desejam um produto ou serviço que vai ao encontro das necessidades dos clientes. Por exemplo, se você notar que tem clientes com animaizinhos fora do peso, porque não mostrar a eles a tecnologia das novas rações especificas para esse tipo de problema. ( as empresas de Ração para bichinhos obesos tem até folhetos explicativos, basta você solicitar ao seu fornecedor). Por que você e seu ( sua) veterinário (a) não combinam para que todo bichinho que entra no banho e tosa sejam pesados e avaliados ? (assim teriam informações para ajudar os seus clientes, sendo mais um diferencial do seu estabelecimento).
Estado de Demanda: Declinante
Tarefa do Marketing: Revitalizar a Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Revitalização

Marketing de Revitalização: É baseado na premissa de que, em muitos casos, se pode começar um novo ciclo de vida para um produto ou serviço, afinal todos os tipos de produtos, serviços, lugares, idéias, organizações, mais cedo ou mais tarde, experimentam um declínio medido pela menor demanda num instante posterior . Por exemplo: Se você tem um pet shop onde tem 3 linhas de trabalho ( Rações e acessórios, Clinica Veterinária e Banho e Tosa), você tem o triplo de chance de não deixar seu faturamento cair, pois acompanhando a rotina de seus clientes (repito, faça uma ficha de cada um), tem condição de indicar aquele(s) serviço(s) que em sua avaliação não está (ão) sendo utilizado(s) como deveria (m) .Estado de Demanda: Irregular
Tarefa do Marketing: Sincronizar Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Sincronização

Marketing de Sincronização: Alguns produtos possuem determinadas épocas do ano onde suas vendas ocorrem em maior nível, contra épocas cujos volumes demandantes são menores. São demandas caracter izadas pela sazonalidade. O esforço de sincronização é fazer com que a oferta e a demanda entrem num melhor sincronismo possível. Por exemplo: você pode realizar um esforço maior,ora atuando na variável preços, ora na variável promoção. Na prática, podemos citar que logo o Inverno estará chegando e você que tem um Pet, já pode conhecendo a rotina dos seus clientes ou criar promoção ( pacotes de Inverno), ou descontos especiais diretamente nos produtos que você sabe que terá queda, mas que são utilizados pelos seus clientes atualmente que é época de calor.
Estado de Demanda: Plena
Tarefa do Marketing: Manter a Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Manutenção

Marketing de Manutenção: Estado no qual a demanda atingiu um equilíbrio em relação a oferta, o esforço aqui é controlar as variáveis obtendo a melhor combinação ente elas. Por exemplo,através do relacionamento com os clientes ( informando novidades, ou incentivando a compra de produtos que não estão saindo como você gostaria), você pode “chamar” seus clientes, direcionando-os. Incentive seus clientes a darem banho ou tosarem de segunda a quinta feira, com algum benefício que possa realmente atraí-lo, mantendo assim o equilibrio da frequência do Banho e Tosa em relação a sexta e sábado. (você pode dar descontos, hidratação, tosa higiênica, brindes etc)
Estado de Demanda: Excessiva
Tarefa do Marketing: Reduzir a Demanda
Estratégia à ser aplicada: Marketing de Redução

Marketing de Redução: Quando a procura (demanda) é maior que a oferta, voce deve controlar buscando o equilibrio. A principio isso pode parecer muito bom, mas não é, isso é o chamado “suicídio pelo sucesso” ou seja há mais procura por um produto ou serviço, que você tem condição de atender. Por exemplo: Marcação de Banho e tosa, onde não se avalia a capacidade, marcando mais do que se permite atender, resultando em atrasos e mal atendimento. Nesse caso, é preferível a redução do volume. É melhor ter menos clientes atendidos, mas todos satisfeitos, do que ter um monte de clientes atendidos e insatisfeitos, reclamando da qualidade do serviço, do atraso etc.

Espero realmente que eu tenha te ajudado com algumas sugestões. A propósito voce sabe o que é Up-Selling (vendas verticais) e Cross-Selling (vendas cruzadas ou horizontais)? Sabe como essas duas técnicas podem te ajudar? Fique atento acompanhando semanalmente nosso blog, que em breve falarei sobre isso.

Um abraço e até nosso próximo encontro todas as segundas-feiras.


"ALTEMARKETING"
Contato:
altemarketing@bol.com.br

domingo, 20 de maio de 2018

A FÁBULA DO PAVÃO E DO URUBU



Conta-se que em um vilarejo, vivia a Sra.Urubu e o Sr. Pavão.
O Sr. Pavão, andava tristonho e refletia muito:

_ Eu sou a ave mais bonita que existe, minhas plumas são lindas, todos que me veêm admiram minha beleza, porém o que adianta tudo isso, se eu não posso voar....Feliz é aquela lá ( e observava com certo ar de inveja a Sra. Urubu), que pode voar para onde ela quiser.


Por sua vez, a Sra. Urubu, estava no alto de uma árvore e pensava:

_ Que coisa mais triste, eu feiosa do jeito que sou, ainda consigo voar, para que todos possam me ver e zombar de mim, feliz é aquele lá ( e observava com certo ar de inveja o Sr. Pavão), lindo e vistoso, quem me dera ter nascido com essa beleza.


Foi ai, que de tanto "matutarem" tiveram uma "brilhante" idéia: resolveram que seria muito bom se eles então pudessem cruzar e gerar uma nova criatura, um descendente que certamente reuniria o que os dois teria de melhor...voaria como a Sra. Urubu, mas seria lindo e formoso como o Sr. Pavão.

Papo vai, papo vem, sabe como é a mãe natureza e ai a coisa aconteceu, eles cruzaram. E adivinha? Nasceu o PERU: que é feio prá dedéu e ainda como se não bastasse o filho da mãe não voa.
 

MORAL DA HISTÓRIA: O ditado que diz que "pior que está não pode ficar" é a mais pura mentira. Se a coisa tá ruim, cuidado se você mexer e não tiver certeza do resultado ... ela pode piorar "


Vale a Reflexão

"ALTEMARKETING"
Contato:altemarketing@bol.com.br

quarta-feira, 16 de maio de 2018

SER FELIZ OU TER RAZÃO


O que prefere?


Fiquei pensando quantas vezes na vida, preferi ter razão ao invés de ter sido feliz, essa história pode também mudar você:


Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já esta atrasado para jantar na casa de alguns amigos. O endereço é novo, assim como o caminho, que ela conferiu no mapa antes de sair. Ele dirige o carro. Ela o orienta e pede para que vire na próxima rua à esquerda. Ele tem certeza de que é a direita. Discutem.
Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira a direita e percebe que estava errado. Ainda com dificuldade, ele admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.
Ela sorri e diz que não há problema algum em chegar alguns minutos mais tarde. Mas ele ainda quer saber: "Se você tinha tanta certeza de que eu estava tomando o caminho errado, deveria insistir um pouco mais". E ela diz: "Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos a beira de uma briga, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite".
MORAL DA HISTÓRIA: Essa pequena historia foi contada por uma empresária durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independente de tê-la ou não. Desde que ouvi esta história, tenho me perguntado com mais frequência: "Quero ser feliz ou ter razão?" Pense nisso e seja feliz !

Vale a reflexão

"ALTEMARKETING"

Contato: altemarketing@bol.com.br

domingo, 13 de maio de 2018

A FÁBULA DA CARPINTARIA




ADMINISTRAR DIFERENÇAS, EXTRAINDO QUALIDADES !









 

Contam que na carpintaria houve uma vez uma estranha reunião. Foi uma reunião de ferramentas para tirar as suas diferenças:
MARTELO: Foi notificado que teria que renunciar. Por quê? Fazia demasiado ruído. E, também, passava o tempo todo golpeando.
PARAFUSO: Também tinha que ser expulso, disseram que ele necessitava dar muitas voltas para que servisse para alguma coisa.
A LIXA: Pediram para que ela também saisse, afinal era muito áspera em seu tratamento e sempre teria atritos com os demais.
O METRO: Concordaram que também não poderia ficar, pois ficava medindo aos demais segundo sua medida, como se fora o único perfeito.

Enfim cada um até concordava que tinha defeito, mas também exigia que o outro saisse...e assim estava indo a reunião, quando derrepente surge o MARCINEIRO, que colocou o avental e iniciou o trabalho:
Utilizou o martelo, a lixa, o metro e o parafuso. Finalmente, a grossa madeira inicial se converteu em um lindo móvel.

Quando a carpintaria ficou novamente só, a reunião recomeçou. Disse o serrote que era o mais sábio:

“Senhores, se há demonstrado que todos temos defeitos, entretanto o carpinteiro trabalha com nossas qualidades”. Isto é o que nos faz valiosos. Assim, superemos nossos pontos negativos e concentremos-nos na utilidade de nossos pontos positivos. Todos concluíram então que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para afinar e limar a aspereza, e observavam que o metro era preciso e exato.


Sentiram-se então uma equipe e como tal sabiam como ninguém, PRODUZIR móveis de QUALIDADE.

A história acaba com todos se sentindo felizes reconhecendo sim seus respectivos defeitos, porém sabendo oferecer aquilo que tem de melhor!


DICA: Não espere montar uma equipe 100% nota 10, sem nenhum defeito, o importante é você saber administrar a qualidade que cada um possa ter.

vale a reflexão

"ALTEMARKETING"