domingo, 6 de agosto de 2017

CONVIVENDO COM ALGUÉM INSUPORTÁVEL

LENDA CHINESA

Muitas vezes nossa convivência com  certas pessoas tornam difíceis, principalmente quando envolve familia:  pai, mãe, irmãos, irmãs, tios, tias, primos, primas, sogras e sogros, genros e noras,  cunhados e cunhadas outras vezes podem ser apenas  vizinhos e vizinhas ou mesmo pessoas que trabalham ou estudam conosco.

Nunca é tarde para nos acalmar e pensarmos melhor sobre o que estamos fazendo da nossa vida. Gostaria de compartilhar com você um texto que retrata bem sobre o segredo de um bom relacionamento que serve para todas as situações, espero que te ajude a repensar sobre o que você está passando:

“Lin era uma jovem chinesa que vivia em uma aldeia distante da cidade, casou e foi viver com o marido e a sogra.

Depois de algum tempo, ela passou a não se entender com a sogra. As duas tinham gênios muito diferentes e Lin se irritava com os hábitos daquela mulher e a criticava o tempo todo e também era criticada.

O tempo passou, mas Lin e a sua sogra, continuavam discutindo e brigando cada vez mais.

De acordo com antiga tradição chinesa, a nora deve obediência à sogra.

Porém, Lin, já não suportando mais conviver com a sogra, decidiu tomar uma atitude de visitar um ermitão muito sábio, que vivia na floresta. Depois de escutar Lin, o homem pegou um pacote de ervas e disse:

- Minha filha, vou lhe dar várias ervas que vão envenenar sua sogra lentamente. Você não pode usá-las de uma só vez para se livrar dela, porque pode causar suspeitas. Por isso, a cada dois dias, ponha um pouco destas ervas na comida dela. Agora, para ter certeza de que ninguém suspeitará de você quando ela morrer, tenha muito cuidado e comece a ser carinhosa com ela. Mas, atenção, eu a ajudarei a resolver seu problema, mas você tem que seguir todas as minhas instruções.

Lin prometeu que seguiria todas as orientações e voltou para casa feliz e muito disposta a começar o projeto de matar sua sogra.

O tempo foi passando. A cada dois dias, Lin servia a comida para a sogra sempre lembrando das recomendações do ermitão para evitar suspeitas. Então, controlava seu temperamento, sempre sorrindo e tratando bem a sogra, disfarçando bem seu real sentimento.

Depois de seis meses, a casa estava em harmonia, em perfeita paz: Lin tinha controlado o seu temperamento, e dificilmente se aborrecia. Durante esse tempo, não discutiu com a sogra, que agora parecia mais amável e mais fácil de lidar. A sogra, também mudou suas atitudes e, então, as duas passaram a conversar, a se tratar como amigas, até a passear juntas.

Um dia, Lin novamente foi procurar o ermitão para lhe pedir ajuda e implorou:

- Por favor! o senhor precisa me ajudar a evitar que o veneno mate minha sogra. Ela se transformou numa mulher adorável, somos amigas e queremos muito bem uma a outra ! Não quero que ela morra por causa do veneno que eu lhe dei. Por favor, me ajude!

O velho sábio, bem tranqüilo, deu um sorriu e falou para Lin:

- Não se preocupe, minha filha! As ervas que lhe dei eram vitaminas para melhorar a saúde de sua sogra. O veneno estava na sua mente e na sua atitude, mas foi jogado fora e substituído pelo amor que você passou a dar a ela.

Você queria quê sua sogra mudasse de comportamento, mas a mudança primeiro teve que acontecer em você ...”

LIÇÃO DE VIDA:

Muitas vezes, somos os responsáveis pela falta de paz e harmonia dentro de nossa casa ou, até mesmo, no nosso ambiente de trabalho.

Por isso, faça um esforço humano e racional para ter como meta importante em sua vida, manter a harmonia, a paz, em todos os lugares, sempre que isso depender de você.

Lembre-se sempre:

"O plantio é opcional, mas a colheita é obrigatória. Por isso, cuidado com o que você planta!"

Vale a reflexão
 
"ALTEMARKETING"
 
E-mail: altemarketing@bol.com.br

domingo, 30 de julho de 2017

CONHECIMENTO NUNCA É DEMAIS I



Nessa semana, gostaria de abordar sobre a capacidade das pessoas de se manterem atualizadas.

Sem dúvida, há uma confusão entre inteligência e grau de escolaridade. Na minha opinião,  não necessariamente essas duas coisas estão relacionadas.

Ao longo de minha vida, me deparei com diversos perfis de pessoas:

OS "ACADÊMICOS" METIDOS A BESTA
Pessoas com alto grau de escolaridade, alguns até Doutores, mas eram medíocres, verdadeiros "chatos de plantão" e  se consideravam (por suas atitudes) pessoas melhores que as outras porque  haviam estudado e claramente  faziam distinção das pessoas (sinceramente sentia pena desses tipos).

OS "SEM FORMAÇÃO" INTELIGENTES E INTERESSANTES

Apesar de ter formação escolar básica,  tinham um poder de raciocínio e esperteza que me impressionava, capazes de conversar com qualquer nível de pessoa (sempre adorei conversar com eles).

OS "ACADÊMICOS" INTELIGENTES E INTERESSANTES

Pessoas preparadas com ótima formação  e bastante inteligente e eram simples, conversavam normalmente com qualquer um. (infelizmente é um perfil mais raro de encontrar).

OS "SEM FORMAÇÃO" e "SEM CONHECIMENTO"
Pessoas que não gostavam de aprender, estudar e  não se interessavam em melhorar...(infelizmente é um tipo fácil de encontrar).

Até já escrevi em outro post, sobre isso:
http://altemarketing.blogspot.com/2011/05/gosto-se-discute-ou-nao.html


Na verdade, observando cada tipo, pude perceber que a diferença que tornava um sábio medíocre ou um ignorante inteligente, era uma palavrinha chamada “conhecimento”. (eis, o segredo do grupo dos "SEM FORMAÇÃO" INTELIGENTES E INTERESSANTES).

Com conhecimento, era possível falar um pouquinho sobre cada assunto sem passar vergonha.

Uma vez, fui apresentado a uma pessoa que verbalizava bem sobre diversos temas, soube durante a conversa que essa pessoa não tinha feito nenhuma faculdade, mas que na verdade seu conhecimento vinha de “ gostar muito de ler, ouvir boa música, e se atualizar”.

Naquele dia, conclui que não bastava somente uma pessoa estudar era preciso também se interessar por coisas boas, leituras, boa música, etc, e se estudássemos e além disso, buscássemos esse conhecimento adicional, certamente seria um diferencial.

Por isso no meu caso,  mesmo  estudando um pouco (sempre quero mais) e por ser ignorante (no sentido de ignorar muita coisa), procuro  apreender e conversar com pessoas interessantes.

Aliás, diga-se de passagem,  sou da opinião que  tanto para homens como para mulheres, comprovadamente o “orgão sexual” que mais mexe com a libido do sexo oposto é o cérebro (mulheres inteligentes gostam de homens inteligentes e vice-versa).

Sendo assim, se você gosta de aprender e pensa como eu que “quanto mais a gente aprende, mas percebemos o quão ignorante nós somos, pois o universo do conhecimento é infinito”, claro que não vai se importar de receber algumas dicas, que lhe dará mais conhecimento além do que você já tem.

Gostaria então, de compartilhar com você,  alguns links que tem me ajudado no dia-a-dia:

REVISTAS SEMANAIS
Obs: Fácil de ler e resumido, ótimo para quem não tem muito tempo de ler jornal:


MÚSICA
Rádio Nova Brasil FM 89,7 MHz
OBS:  Essa rádio não toca música internacional, mas você  vai se surpreender com a qualidade de nossa música brasileira.  Vale muito como aprendizado de saber quem são nossos cantores. Detalhe: essa rádio  NÃO toca  FUNK, SERTANEJO, AXÉ, PAGODE, SAMBA, FORRÓ.
http://www.novabrasilfm.com.br/

ARTIGOS DIVERSOS:
Obs: basta digitar o tema
Obs: Obras consagradas de autores nacionais e estrangeiros
http://www.senado.gov.br/sf/biblioteca/default.asp

PALESTRAS DIVERSAS:
Obs: slides em Power point resumido com o tema que você procura

Inclusive, alguns desses links eu já havia mencionado em um outro post, que também tinha como tema a questão ENSINAR X EDUCAR, vale a pena, ler, dê uma passadinha por lá:


Fica aqui então as dicas, e quem sabe quando nos encontrarmos, possamos conversar sobre algum assunto interessante, não é mesmo?
 
um abraço

"ALTEMARKETING"

CONTATO:

E-mail:
 

domingo, 23 de julho de 2017

SENDO FELIZ NO MUNDO IMPERFEITO


Quantas vezes cobramos a perfeição nas pessoas e coisas ao nosso redor. No dia de hoje gostaria de compartilhar com você uma mensagem (que creio serve para todos inclusive para mim mesmo) para que possamos compreender que nem sempre tudo será como gostaríamos e que precisamos compreender as pessoas e fatos:


"Quando eu ainda era um menino, ocasionalmente, minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar.

E eu me lembro especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses, depois de um dia muito duro de trabalho.

Naquela noite longínqua, minha mãe pôs um prato de ovos, linguiça e torradas bastante queimadas, defronte ao meu pai.

Eu me lembro de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o fato. Tudo o que meu pai fez foi pegar a sua torrada, sorrir para minha mãe e me perguntar como tinha sido o meu dia, na escola.

Eu não me lembro o que respondi, mas me lembro de ter olhado para ele lambuzando a torrada com manteiga e geleia, e engolido cada bocado.

Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi minha mãe se desculpando por haver queimado a torrada. E eu nunca esquecerei o que ele disse:

Amor, eu adoro torrada queimada...

Mais tarde, naquela mesma noite, quando fui dar um beijo de boa noite em meu pai, eu lhe perguntei se ele tinha realmente gostado da torrada queimada.

Ele me envolveu em seus braços e me disse:

Filho, sua mãe teve um dia de trabalho muito pesado e estava realmente cansada... Além disso, uma torrada queimada não faz mal a ninguém.

A vida é cheia de imperfeições e as pessoas não são perfeitas. E eu também não sou o melhor marido, empregado ou cozinheiro!

O que tenho aprendido através dos anos é que saber aceitar as falhas alheias, escolhendo relevar as diferenças entre uns e outros, é uma das chaves mais importantes para criar relacionamentos saudáveis e duradouros."

De fato, poderíamos estender esta lição para qualquer tipo de relacionamento: entre marido e mulher, pais e filhos, irmãos,  parentes em geral, cunhados,  amigos,  colegas da escola, trabalho  etc.

Não ponha a chave de sua felicidade no bolso de outra pessoa, mas no seu próprio.

Procure ver pelos olhos de Deus e sinta pelo coração Dele. Você apreciará o calor de cada alma, incluindo a sua.

As pessoas poderão se esquecer do que você lhes fez, ou do que lhes disse. Mas nunca esquecerão o modo pelo qual você as fez se sentir.

Gastamos muito tempo e muitas energias nos importando com coisas pequenas, pequenos aborrecimentos, pequenas querelas que não levam a lugar algum.

Acabam, sim, sempre nos fazendo mal, estragando o dia, que tinha tudo para ser tão proveitoso, se houvéssemos escolhido o caminho da compreensão, da paz.

VALE A REFLEXÃO!

"ALTEMARKETING"
 

domingo, 16 de julho de 2017

A FÁBULA DO PORCO E DO CAVALO

Mundo Corporativo

Um fazendeiro colecionava cavalos e só faltava uma determinada raça.


Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha este determinado cavalo.

Assim, ele atazanou seu vizinho até conseguir comprá-lo.

Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:

- Bem, seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu retornarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.

Neste momento, o porco escutava toda a conversa.

No dia seguinte deram o medicamento e foram embora.

O porco se aproximou do cavalo e disse:

- Força, amigo! Levanta daí, senão você será sacrificado!

No segundo dia, deram o medicamento e foram embora.

O porco se aproximou do cavalo e disse:

- Vamos lá amigão, levanta senão você vai morrer! Vamos lá! Eu te ajudo a levantar... Upa!

No terceiro dia deram o medicamento e o veterinário disse:

- Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a virose pode contaminar os outros cavalos.

Quando foram embora, o porco se aproximou do cavalo e disse:

- Cara, é agora ou nunca, levanta logo! Coragem! Upa! Upa! Isso, devagar! Ótimo, vamos! Um, dois, três, legal, legal, agora mais depressa, vai... Fantástico! Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!! Você venceu, Campeão!

Então, de repente o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou:

- Milagre! O cavalo melhorou. Isso merece uma festa...' Vamos matar o porco! '

Isso acontece com freqüência no ambiente de trabalho.
Ninguém percebe, quem é o funcionário que tem o mérito pelo sucesso.

VALE A REFLEXÃO
 
"ALTEMARKETING"
CONTATO: altemarketing@bol.com.br

quinta-feira, 13 de julho de 2017

ENSINAR X EDUCAR *

*DA SÉRIE ELUCUBRAÇÕES: "Os dedos escrevem aquilo que o coração está cheio"

Cena 1 - Paro meu carro no farol e lembro-me que tenho que virar a direita (estou na pista da esquerda), vejo que o carro que está mais próximo ainda está distante e certamente percebendo o que eu estava fazendo, ele poderia claramente ter esperado eu embicar o carro, mas não, acelerou quase colidindo se eu não tivesse parado.

O farol continua fechado, apenas nossos carros um ao lado do outro, eu centimetros a frente embicado, abro o vidro e vejo quem estava com "tamanha gentileza", era um rapazinho no máximo de 18 anos, em seu carro ouvindo Funk e ao seu lado uma mocinha (talvez namoradinha).

Simplesmente pedi ao rapaz: Dá licença de eu virar a Direita?

O "menino" cabelo espetado, óculos escuros gritou: "BARALHO" (pra não dizer o que realmente gritou) não dá seta não ?

Interessante foi ver a reação da menina que estava com ele, que ficou espantada, com o palavrão completamente desnecessário do menino.

Realmente ele não estava errado, talvez  eu  mesmo estando sozinho naquele momento, deveria ter dado seta. Restou-me então admitir e apenas dizer: Desculpe, pode me dá licença então?

Gente, o menino tinha idade para ser meu filho e estava me "agredindo com os olhos", abriu o farol e o rapaz saiu cantando pneu, todo nervozinho...
Fiquei pensando depois, como é o processo de Educação de uma cidade como São Paulo, (uma das principais cidades do Pais) que é um termômetro do que as crianças estão de fato apreendendo nas Escolas.

Decididamente a Escola não está EDUCANDO, o que está tentando ensinar são  matérias para vestibular (muito mal por sinal), aliás há quem diga que ensinar é na Escola, educar é em casa com os pais.

Pessoalmente, discordo completamente disso, a Escola tem e deve ter papel fundamental nessa complementação, exercendo desde cedo a influência na aceitação da criança nos valores que realmente interessam.
Na minha opinião, deveria haver uma disciplina chamada HUMANIZAÇÃO que englobaria no curriculum da disciplina CIDADANIA E CONHECIMENTOS CULTURAIS:

CIDADANIA:
 Os alunos, desde o ensino infantil aprenderiam o bom comportamento,  amar os animais,  o respeito aos pais e aos mais velhos, a importância do uso de palavras fortes como desculpe, com licensa, por favor e obrigado. Aprenderiam a importância de um sorriso ao encontrar alguém e dizer: Olá Bom dia! Boa Tarde ! Boa noite!  devolver o que pegar emprestado, não mexer nas coisas sem permissão, falar baixo na biblioteca, não jogar o material da escola ou a roupa em qualquer lugar, não jogar a toalha molhada em cima da cama, etc. Enfim coisas básicas.

Aprenderiam também exemplos históricos sobre o valor da Amizade, respeito ao próximo, soliedaridade, caridade, honestidade, dignidade, bom caráter. 

A menina e o menino aprenderiam o valor de serem pessoas de bem: bons alunos, bom profissionais,  companheiros, dedicados, batalhadores. A mulher de também  ser uma boa mãe e esposa e o homem o valor de ser um bom pai e esposo e ambos aprenderiam a se   tratarem  com amor, carinho e respeito (não essa banalização da sexualidade, onde garotas vão ao baile funk e saem grávidas).

CONHECIMENTOS  CULTURAIS:
Aprenderiam os autores Internacionais e  Nacionais clássicos Brasileiros  como o Euclides da Cunha, Guimarães Rosa, Glaciliano Ramos, Érico Verissimo e muitos outros. Poetas consagrados, músicos clássicos e contemporâneos.

Em relação ao gosto musical,  aprenderiam a distinguir uma boa música (seja de qualquer idioma) e principalmente a nossa própria música Brasileira.

Você vai se surpreender e constatar que no Brasil há compositores, bandas e cantores de muito bom gosto, isentos absolutos da comparação com "tipos de músicas" que não acrescentam nada a nossa cultura).

Aliás, uma coisa que considero um verdadeiro absurdo em termos culturais é o que chamo de   "segmentação do mau gosto", pois não dá chance para a pluralidade do conhecimento ou ouvir coisas que prestam mesmo que sejam dentro de um mesmo ritmo.

Exemplo: uma rádio que só toca sertanejo o dia inteiro ou que só toca pagode o dia inteiro (repetindo as mesmas  músicas ruins  dezenas de vezes  no dia), será que não cansa? Será que não podem dar prioridade as músicas e cantores  desses ritmos que realmente são conhecidas pelo bom gosto?

Claro, não é culpa dessas rádios pois elas estão voltadas exatamente para um público que não anseia por cultura, conhecimento e novidade, direcionada para um tipo de ouvinte que não tem um minímo de gosto até mesmo dentro de um único rítmo que  gosta e principalmente interesse em ser  seduzido  por uma  boa música.

Tudo bem,  até concordo que tem coisas que eu gosto muito também, mas daí 24 horas fazer ou ouvir somente uma coisa, e ainda fazer ou ouvir a reboque também a parte ruim... decididamente não dá!

A Escola tem que "salvar" essas crianças, EDUCANDO-AS a escolher desde cedo  o que é de bom gosto, para que não cresçam sendo alienados culturais!

Mas, enquanto isso você pode fazer sua parte se interessando por coisas boas ou passando essas informações a alguém:

AUTORES E OBRAS CONSAGRADAS GRÁTIS:

http://www.senado.gov.br/sf/biblioteca/default.asp
http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.jsp

MÚSICA:

Perceba a diferença entre um Funk "proibidão", Axé "baixaria", Pagode "Besteirol" de uma música Brasileira de Qualidade ouvindo a NOVA BRASIL FM 89, 7 MHz:

http://www.novabrasilfm.com.br/
 
Encerro dizendo o seguinte:

Em defesa da ecologia e do crescimento sustentável já ouvi, frases como QUE MUNDO VAMOS DEIXAR PARA AS CRIANÇAS ?

Na minha opinião a preocupação é muito outra e bem grave, a frase correta é :QUE CRIANÇAS ESTAMOS DEIXANDO PARA O MUNDO?

Vale a REFLEXÃO


"Altemarketing"

segunda-feira, 3 de julho de 2017

"O PERFEITO É INIMIGO DO BOM"

Em uma das empresas que trabalhei, tive o privilégio de trabalhar com um dos mais inteligentes Executivos, o Sr. Yan Wiegerinck- Presidente da organização GELRE. Lembro-me como se fosse ontem de sua presença marcante, um Sr. de cabelo branquinho, muito bem vestido usando suas charmosas gravatas borboletas. Uma das frases que o Dr. Yan (assim que todos o conheciam), dizia e que nunca mais esqueci era que "O PERFEITO É INIMIGO DO BOM".

Já algum tempo, estava pensando em postar algo sobre isso, pois se você parar para pensar, quantas vezes perseguimos o "PERFEITO", sendo que o "BOM" já era o suficiente para iniciarmos nosso trabalho, negócio etc.

Fico observando em minhas "andanças" dezenas de profissionais que não fazem faculdade nenhuma, porque querem entrar "naquela especial", ou ainda que não fazem o site da sua empresa, porque esperam comprar um computador mega hiper super master etc, ou ainda aquele lojista que pretente comprar gôndolas maravilhosas, mas enquanto não compra deixa tudo espalhado no chão mesmo.

Creio realmente, que tudo é uma questão de foco, seja qual for seu négocio o importante é você definir dois pontos, o PERFEITO e o BOM (este para que você possa iniciar).

Claro, não é vergonha nenhuma você planejar seus objetivos e querer sempre o melhor, mas quando você tem um plano "B" ou seja também ter o BOM o que acontece na prática é que mesmo não sendo como gostaria, você acaba ganhando tempo para com a experiência ter a certeza de que de fato o que havia pretendido inicialmente era o ideal.

Conheco muitos profissionais, que se destacaram em seus trabalhos, através dos mais variados cursos das mais variadas faculdades publicas ou privadas ou outros que na ausência de um computador maravilhoso, começaram com um com menos recurso (aprenderam bem a mexer) e depois quando já estavam "craques" investiram em um equipamento melhor ou ainda conheço empresários lojistas que colocaram gôndolas simples (nada muito sofisticado e caro), mas organizaram completamente (e muito bem) suas respectivas lojas.

Existe uma frase, que até já mencionei em outro post, mas nunca me canso de repetí-la, essa frase se não me engano é da Marinha Mercante Americana, e diz o seguinte: "If you don´t know where you go, there is no better way", Traduzindo "Se você não sabe para onde vai, não existe o melhor caminho".
Tenha o hábito de traçar seus objetivos (independente do que for podendo ser pessoal, intelectual, afetivo, material etc) e procure escrevê-los em algum lugar (caderno ou agenda, ou computador etc), e não importa o quanto tempo demore para concluí-los, risque-os a medida que vá conseguindo conquistá-los. (ah, é verdade essa é uma das 7 dicas que compartilho em meu perfil do Orkut).

Você pode sonhar a vontade, mas lembre-se: O único lugar onde SUCESSO vêm antes do TRABALHO é no Dicionário.

 
Vale a reflexão


"ALTEMARKETING"
ORKUT: ALTEMARKETING

sexta-feira, 30 de junho de 2017

BOM SENSO X REGRAS

Você saberia me dizer o que essas 3 grandes organizações tem em comum?

PRESTE ATENÇÃO:

1º SITUAÇÃO: Uma grande rede de livraria, muito conhecida, presente em todos os Shoppings Centers.
Essa empresa estava fazendo a promoção, compre 1 livro e ganhe 10% compre 2 livros e ganhe 20% compre 3 livros e ganhe 30%, e assim por diante...
Estava eu adquirindo 2 livros gastando em média R$ 50,00 em cada um, quando me deparei com um maravilhoso livro do Jack Cousteau (aquele famoso oceanógrafo) mostrando a beleza do fundo dos mares, de fato o livro realmente era muito bonito, todo em papel especial, fotos maravilhosas daqueles peixes coloridos algo fenomenal. Fiquei folheando o livro e realmente me interessei, me dirigi até o balcão onde um funcionário consultou o preço do livro de fotos, (o preço também era fenomenal quase R$ 400,00), claro, que não levei apesar do balconista dizer que seria bom eu falar com um vendedor, que tratava-se de uma edição comemorativa e estava em promoção etc).
Dispensei a "oferta" e sinceramente estava com pressa, peguei a fila para pagar no caixa e retirar meu pacote, feito isso fui pra casa, qual não foi minha surpresa que quando cheguei, ví dentro de minha sacola além dos meus livros, o livro de Oceonografia por engano.
Voltei ao Shopping, e devolvi a um dos vendedores explicando o ocorrido, o rapaz que me agradeceu, verificou o ticket e constatou que o Caixa ao ver 3 livros, me deu 30% de desconto, como eu só havia levado 2 livros eu teria direito apenas a 20% (afinal era esse o regulamento da promoção) ou seja, eu deveria devolver algo que se bem me lembro não chegava a R$ 10,00, essa parte foi a mais difícil pois como sai correndo de casa para devolver o livro, estava sem dinheiro e tive que sair pelo shopping atrás de algum caixa 24 horas para poder "saldar minha dívida" (sinceramente, achei muito interessante o "raciocínio" do funcionário preocupado em cumprir o regulamento).




2º SITUAÇÃO: Um grande convênio médico, muito tradicional nas empresas.

Como Gerente de Marketing, eu tinha pela empresa, um plano desse convênio do tipo EXECUTIVO (ou seja um dos melhores que o convênio tinha, com direito a apartamento, exames,etc). Estava caminhando em um bairro de São Paulo, quando passei mal (uma queda de pressão) e por sorte (ou por azar), estava bem próximo a uma unidade deles. Pessoas que passavam na Rua, me socorreram e me ajudaram chegar até a unidade. Expliquei a atendente que já havia tido isso, bastava tomar um remédio para pressão e tudo estaria resolvido. Qual não foi minha surpresa quando a atendente, me informou que eu deveria (note que mesmo passando mal), ir até a outra unidade que ficava a uns 4 quarterões na Rua de cima, pois lá tinha Clínicos Gerais e na unidade que estava tinha vários médicos porém especialistas. Pedi para falar com a enfermeira "chefe", que de fato me confirmou que possuiam o remédio que eu estava acostumado a tomar, e que também tinham o aparelho de pressão para medir, mas quem deveria dar a autorização era só um Clinico Geral, perquntei diante da circunstância se um dos especialistas não poderia fazer isso (já que todos são médicos clinicos gerais, e fizeram especializações), mas não, o "regulamento" era somente os Clinicos e se eu quisesse ser atendido, deveria ir até a outra Unidade (após ouvir essa "pérola" fiquei imaginando uma manchete de jornal "paciente morre dentro do convênio médico por falta de atendimento"), seria cômico se não fosse trágico.

3º SITUAÇÃO: Uma das maiores redes de Supermercados do País.

Fui até uma de suas lojas, comprar leite semi-desnatado, não tinha o leite, mas como a pessoa que havia me feito a encomenda, só podia tomar esse tipo de leite devido a diabetes e deveria tomar um remédio, pediu então para eu levar pelo menos 1 litro do desnatado (que convenhamos, quem conhece sabe que é muito ruim). Fiz a compra, mas não conformado fui até a outra unidade em outro Bairro tentar encontrar o leite desejado e encontrei o leite semi-desnatado, que procurava. Pois bem, fiz a compra e pedi para trocar aquele litro comprado na outra loja de desnatado por um semi-desnatado (inclusive era o mesmo preço). Fui informado que apesar de ser a mesma marca, o mesmo preço, comprado na mesma Rede, o "regulamento" não permitia fazer a troca, pois havia comprado em outra unidade, eu deveria guardar o leite e só trocar quando a outra unidade tivesse recebido o produto certo que eu procurava (mesmo sendo a mesma empresa e eles tendo aos montes o leite que eu precisava, eu deveria ficar sem o produto e aguardar chegar na outra loja para fazer a troca, sei ahã...entendo).

Você deve ter percebido, que nesses 3 casos, ficou claro que os funcionários não erraram e foram eficientes (ao cumprir a regra), mas não foram eficazes (há uma grande diferença entre o conceito de eficiência e o de eficácia).
Posteriormente pude contatar a Direção de cada empresa, no qual ouvi o pedido de desculpas juntamente com a informação (dita de forma diferente por cada um deles), mas de forma unânime resumia o seguinte:

"Os funcionários são treinados, mas falta a eles a iniciativa, o bom senso de saber lidar com a situação de quebra de regras em prol de um bom atendimento, certamente os que sabem são aqueles que não ficam nas mesmas funções que são contratados, sendo um diferencial recebendo promoções".

Diante disso, deixo aqui a mensagem para que você avalie realmente o que sua empresa tem a ganhar ao cumprir uma regra e não atender o pedido do cliente ou se atender qual o "grande prejuizo" que terá.
Lembre-se: Um cliente não é para uma vez só, é por toda a vida, além é claro que um cliente insatisfeito (ou mal atendido), fará a propaganda negativa de sua empresa para outras pessoas.

Vale a reflexão!


Até nosso próximo encontro.


"ALTEMARKETING"